domingo, 5 de maio de 2019

Ai ai, nossas escolhas

"Não são nossas qualidades que nos definem, são as nossas escolhas." (J.K. ROWLING, Pelo personagem Alvo Dumbledore)

É comum imaginarmos que a vida passa muito rápido. Que quando nos damos conta do que passou, sentimos que muitas oportunidades foram deixadas pra trás por diversos motivos. Talvez o principal motivo seja a falta de sabedoria que temos na juventude e a falta de vigor que aparece na madureza. Se destacam aqueles que conseguem equilibrar essas duas qualidades. No final das contas, não são as nossas ferramentas (qualidades) que dizem quem somos e sim o que fazemos com elas (escolhas).

Costumo dizer que tudo o que queremos conseguimos. E o grande problema da nossa constante falta de satisfação está no seguinte ponto: buscamos as coisas que não complementam verdadeiramente. Acreditamos que certas conquistam são necessárias e quando a conseguimos, elas não nos deixam saciadas. Acaba que no grande caminhar da vida percebemos que o que precisamos conquistar é o conhecimento de si mesmo e partir daí, transmitir o que temos de melhor para os outros.

Quando nos conhecemos, reconhecemos nossos defeitos e usamos melhor as nossas qualidades. Um martelo pode ser usado para construir uma casa, uma ponte, um carro; mas também pode ser usada para destruir o carro, a casa, a ponte. Quais são as escolhas que faremos e que caminho iremos seguir? Tal a reflexão que precisamos nos fazer todos os dias. Finalizando, citarei Renato Russo quando ele nos questiona: "É o bem contra o mal, e você? De que lado está?"

Por Daniel Japiassú

sexta-feira, 19 de abril de 2019

Páscoa

A Páscoa tem significados especiais para muitas pessoas no mundo. Para os Judeus, representa a libertação do seu povo da escravização do Egito, o Êxodo liderado por Moisés que durou 40 anos. Para os Cristãos, a Páscoa significa a comemoração à Ressurreição de Cristo após a sua crucificação. Libertação e Ressurreição, duas coisas que podemos refletir bastante sobre seu significado.  

A liberdade é uma condição que o ser humano persegue o tempo todo. Quando nos abstraímos da liberdade sentimos que algo nos falta. Tal condição reflete um sinal de responsabilidade extremo, pois quando adquirimos a liberdade de expressar quem somos, não podemos mais fugir das consequências das nossas ações. Após a conquista da liberdade, precisamos ter cuidado com o que iremos fazer com ela. Vamos ter cuidado com o que fazemos com a nossa liberdade.

A ressurreição indica algo mais profundo e transcendente. A fé passa a se fazer presente, porém, independente da sua fé - se tens ou não - é impossível negar a grandeza de Cristo e a profundidade das suas palavras. Acredito que a Páscoa para o Cristão seja o momento de buscar renovar os sentimentos que Jesus veio ensinar para a humanidade. Sentimentos que cabem para qualquer pessoas, que tentarei enumerar os principais (aos meus olhos): 
  1. Amor à Deus;
  2. Amor ao Próximo (próximo indica todas as pessoas, aquelas que desejam seu bem ou não);
  3. Perdão das ofensas;
  4. Misericórdia;
  5. Estimulou a paz;
  6. Estimulou a limpeza do coração;
  7. Estimulou o emprego da justiça.
Tudo isso é difícil. Por isso que até hoje as pessoas precisam ouvir tais ensinamentos e estes combinam com a necessidade da elevação moral que vemos hoje em todas as esferas da humanidade.

PS.: O tempo sem postar indica é justificado por uma frase de Renato Russo: "Só fala àquele que tem algo a dizer."

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Fácil, Extremamente Fácil

"Entrai pela porta estreita porque larga é a porta da perdição." (JESUS)

Num dia qualquer somos convidados a fazer escolhas que são aparentemente simples. É comum buscarmos o lado fácil das coisas. Vivemos sob a ótica de que o menor esforço é sempre o melhor para nós. Esta forma de pensar pode nos levar a trabalhar para buscar um conforto maior ao fim do dia, uma condição melhor de saúde e lazer para nossos filhos, uma velhice tranquila ao fim da vida. Porém, outra forma de agir sob este pensamento é a busca desenfreada pelo que me beneficia em detrimento do outro. Interpretar a facilidade como sendo aquele tipo de vida onde trabalhamos pouco e ainda assim temos muitas recompensas. Triste daquele que pensa da segunda forma pois assina sua condenação na prisão da infelicidade.

O trabalho, o esforço, a vitória que vem após o esforço, são recompensas indescritíveis para aquele que deseja alcançar motivos de felicidade. O nosso legado durante a vida depende das nossas obras mais simples. São nessas pequenas obras que plantamos nossas sementes verdadeiras. Elas representam quem nós somos, a forma que tratamos as pessoas, a forma que agimos diante das dificuldades, além da forma que tratamos nossos privilégios cotidianos. Podemos ter todas as ferramentas necessárias para caminhar, porém o ato de caminhar só depende do que temos por dentro.


Por Daniel Japiassú

PS.: Bom voltar. 

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

A Lenda de Tarzan

"É preciso exigir de cada um o que cada um pode dar." (O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint-Exupéry)

Ontem assistimos o clássico "A Lenda de Tarzan". Interessante como percebemos em sínteses aparentemente infantis os grandes problemas que assolam a humanidade. Como a representação daquilo que nos tornam maus são simples de demonstrar. Orgulho e egoísmo estão presentes em todas as nossas épocas e representam a causa da maioria dos nossos conflitos íntimos e com os outros. 

No filme, o vilão deseja escravizar o povo do Congo com o intuito de coletar os diamantes que existem naquele país utilizando um exército de mercenários e doado pelo rei da Bélgica. A contra partida era de se tornar o governador do Congo e enriquecer ainda mais a Bélgica e o seu rei. A história é uma ficção, porém representa um roteiro comum na nossa história. Alguém que possui certo poder querendo dominar os mais fracos.

Temos o costume de julgar com muita força aqueles que cometem erros. Como se as nossas falhas fossem mais amenas que as dos outros. 

Por Daniel Japiassú

domingo, 6 de janeiro de 2019

Ano Novo - Vida Nova

"Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes." (EINSTEIN)

Nos dias que passaram (de comemoração à passagem do ano), sempre existem os desejos de sucesso, felicitações, momentos fraternos e a vontade de que algumas coisas futuras ocorram de maneira diferente. Muitas vezes fazemos planos que não se realizam, desejamos coisas e ações que não conseguimos. O que ocorre é que parece que no final das contas nada muda, ou que a mudança, se ocorrer, não é pela passagem do tempo, mas pela mudança do nosso comportamento.

A vida nova que procuramos não depende de nenhum ente exterior. Temos ainda um pensamento infantil no qual esperamos que alguém nos mostre o caminho - ou melhor - que nos leve até o final da jornada. Porém, devemos saber que a jornada é feita por quem caminha pela estrada, inclusive ultrapassando seus obstáculos. Esta nossa espera nos causa uma frustração, até de colocar nossa fé em xeque. De maneira simples, a frustração só ocorre, justamente, porque esperamos que o salvador nos leve, não nos ensine.

Uma música muito interessante é cantada nas festas de Reveillon: "Adeus ano velho, feliz ano novo. Que tudo se realize no ano que vai nascer, com muito dinheiro no bolso, saúde pra dar e vender." Nós vivemos em ciclos. Quando um ano passa existe a sensação de que um ciclo se fecha e outro começa. A partir de um novo ciclo nós adquirimos certo ímpeto de começar algo importante. Este ímpeto dura o tempo da nossa perseverança. Se não tivermos força para continuar batalhando por aquilo que queremos conquistar, vamos continuar esperando pelo "Ano Novo".

Força Sempre!

Por Daniel Japiassú 

terça-feira, 25 de dezembro de 2018

O Natal

“Em verdade, em verdade digo-te: Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo.(JESUS)

O Natal é a comemoração Cristã do nascimento de Jesus, que é, sem dúvida alguma, o maior ícone que a humanidade já viu, haja vista que o calendário é dividido entre antes e depois de sua passagem física na Terra. Este post tem interesse de refletir sobre um significado que o Natal possui  e que aos poucos foi se perdendo, ao menos quando temos um vislumbre superficial do mundo.

Jesus fala em "nascer de novo" e num dia como hoje (Dia de Natal) é importante que possamos permitir que os sentimentos benevolentes possam nascer dentro de nós. Que possamos permitir que Jesus possa nascer em nossos corações. Quando falo isso, não digo para seguirmos uma religião específica, mas que possamos  praticar o que Jesus pregou através de suas ações e de suas leis. O próprio citou que o maior mandamento da Lei é o AMOR. 

Nada mais justo imaginar que para seguir verdadeiramente os mandamentos Cristãos é necessário praticar diariamente o amor ao próximo. Quer dizer que qualquer sentimento negativo: mágoa, rancor, raiva, ciúme, tristeza e ódio, indica um descumprimento desta Lei. Todos os sentimentos que citei estão muito presentes em nosso dia dia e não existe pessoa (pelos menos que eu conheça) que nunca tenha sentido tais coisas. Nossa missão, para quem escolher seguir Jesus, é a de reduzir estes sentimentos para que a vida seja mais leve.

Muitos acreditam que para a prática do amor seja necessário ações extremamente grandiosas. Como outros ícones da humanidade fizeram (Francisco de Assis, Madre Tereza de Calcutá, Chico Xavier, e muitos outros) coisas grandiozas e que influenciaram muitas pessoas. Mas o amor ao próximo para pessoas comuns não passa da prática diária do bem. Desejar "bom dia" para quem nos cruza na rua, não jogar lixo no chão, ser gentil no trânsito; são nas pequenas ações que provarmos ser uma pessoa melhor. 

Feliz Natal!

Por Daniel Japiassú

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Valorização

"Observai os pássaros no Ceú." (JESUS)

Já sentiu falta de algo que era extremamente importante no momento e, de repente, tudo se resolve? Pois é. Tudo ocorre ao seu tempo. O desespero nos atrapalha, não nos deixa ver aquilo que está perante nossos olhos. Já observou os pássaros no céu? Eles recebem tudo que é preciso para viver. Que esperar de nós perante isto? Serão os pássaros mais importantes que nós? Não, tudo na natureza tem sua relevância e importância, como um instrumento numa orquestra.

É importante aprendermos a julgar o que é de fato importante. As coisas mais importante que devemos plantar, regar e colher não são materiais. Infelizmente nos acostumamos a "coisificar" as nossas necessidades. Isto faz com que tenhamos pílulas curtas de satisfação confundidas com felicidade. A felicidade real não é uma passagem curta da vida, ela é um estado de espírito que independe dos acontecimentos externos. Ou seja, não tem como estarmos felizes, ou somos ou não somos.

Que os dias, ainda mais estes dias em que a fraternidade vira moda, possamos exercitar o desprendimento daquilo que não é útil. Que possamos criar laços e amarras em sentimentos positivos, que produzem boas sensações em todos, como o amor, a misericórdia, a compaixão, benevolência, indulgência. Todos esses que fazem parte daqueles que espalham a felicidade pois só se pode dar aquilo que se tem.

Força Sempre.

Por Daniel Japiassú